Curso de mandarim

Devemos aprender mandarim?

Senac oferece curso de Chinês-Mandarim
13/08/2007 às 15:58

Senac oferece curso de Chinês-Mandarim

A aula inaugural do curso é gratuita e ocorre nesta segunda-feira, às 19h, no Senac Novo Hamburgo


A área de Multilínguas do Senac de Novo Hamburgo está com novidade, curso de Chinês-Mandarim. Nesta segunda-feira, dia 13, às 19h, ocorre a aula inaugural no Senac (Rua Bento Gonçalves, 1537, centro (próximo à Receita Federal). O Mandarim é o idioma padrão da língua chinesa.


O idioma é originado do pequinês, um dialeto falado antigamente em Pequim, atual capital da China. Possui mais de 80 mil caracteres, chamados banzis, dos quais 7 mil são os mais usados. Atualmente, 94% dos chineses falam o Mandarim. Os outros 6% falam diversos dialetos de origem sino-tibetana.


Com o curso, o Senac traz esta cultura, tradição e perspectivas de contatos profissionais e comerciais. A aula inaugural será gratuita. O Senac oferece ainda cursos de Espanhol e Inglês. Maiores informações podem ser obtidas através do telefone (51) 3594 6133 ou pelo e-mail senacnh@senacrs.com.br.


ORIGEM DO MANDARIM

Na China, o nome desta língua é Guãnhuà. “Mandarim” é como nós, ocidentais, chamamos a língua oficial da China. Este termo nasceu no século XVII, época de intensas relações comerciais entre portugueses e chineses. Os comerciantes lusitanos aportavam na costa chinesa em busca de chá e seda e só podiam negociar com funcionários públicos chineses de alto-escalão.


Como estes funcionários ordenavam e mandavam na comercialização, os portugueses os chamavam de Mandarins. Logo, o ocidente passou a chamar aquela estranha língua falada no Oriente de “a língua dos Mandarins”. Quatro séculos se passaram e as relações comerciais entre o ocidente e o oriente intensificam-se cada vez mais.

Fonte site novahamburgo